um retrato com o artista e o vazio

O artista russo Fyodor Pavlov-Andreevich apresentou em maio de 2016, no Museu de Arte Moderna de São Paulo, a performance inédita Um retrato com o artista e o vazio. Posando nu para desenhistas e para o público, Fyodor buscou repensar o papel de modelos vivos nas escolas de arte.

Além de repensar o papel dos modelos vivos no ambiente acadêmico das escolas de arte, a performance tinha como proposta questionar a distância estabelecida entre o desenhista e o modelo. Durante sua realização, a cada 15 minutos um sinal alerta era soado para que tanto o artista quanto os participantes trocassem de posição, iniciando novos desenhos.

Na sequência, todos os desenhos produzidos na intervenção integraram a exposição “Educação como matéria-prima”, que ficou em cartaz no mesmo museu até junho. Os retratos colados nas paredes ajudaram a refletir ainda mais sobre processos educativos da produção de desenhos e da realização de performances.

One response

Comments are closed.