ONDA#19
OLHAR

Como podemos olhar para as diferenças? Aquilo que outrora parecia conhecido e certo, em uma pequena mudança de perspectiva passa a revelar o desconhecido. O olhar de cada um é, por vezes, tão excepcional que torna-se único e estrangeiro. Artistas de diferentes modalidades passam pelo ATRAVES\\ na ONDA#19 – OLHAR: ESTRANGEIRO e, para cada um deles, um novo olhar cheio de curiosidade se debruça.

EDITORIAL

Olhar, segundo o dicionário, significa ‘dirigir os olhos para; mirar(-se), fitar(-se)’.
Dessa simples definição, entendemos que, para olhar, são necessárias duas figuras básicas: quem observa e o objeto a ser observado. O ATRAVES\\ surgiu a partir dessa sede de olhar. Mais especificamente: presenciar, observar e registrar o processo criativo de artistas.
Usando nosso estúdio como espaço aberto para receber artistas de todas as modalidades, podemos ter um olhar privilegiado para o momento de criação de uma obra e para os seus ímpetos de criação. Os artistas se revelam em seu mais íntimo momento e o olhar externo torna-se um verdadeiro estrangeiro cheio de curiosidade.
Para essa próxima ONDA, queremos reafirmar essa nossa ambição fundadora, trazendo ao nosso estúdio os mais diversos processos criativos em suas diversas facetas, buscando ressaltar suas peculiaridades através de um olhar atento e desperto.
Essa é a ONDA#19 – OLHAR: ESTRANGEIRO!

[topo]

OLHAR DA TRANSFORMAÇÃO

Linn da Quebrada

Receber uma artista do calibre da Linn da Quebrada foi um momento único dentro da nossa história. Linn, além de uma artista de múltiplas facetas e capacidades, é um símbolo, uma explosão de potências viscerais que transformam e inspiram todas e todos ao seu redor.

Tentamos, durante este processo múltiplo que envolveu uma dezenas de outros artistas e técnicos, manter um olhar focado e preciso para o processo criativo daqueles que planejaram e iniciaram toda a estrutura do clipe Coytada: o diretor Guilherme Godoy e a produtora Mariana Castilho.

A vivência com essa equipe trouxe muito aprendizado. Conviver com pessoas de realidades e subjetividades tão diferentes provocaram um olhar humano para o outro, por mais diferente que ele possa ser de uma suposta normalidade ou de um padrão. O choque transforma e se torna parte de nós mesmo.

Esse é o poder da Linn da Quebrada.

[topo]

OLHAR DESIGUAL

Jairo Mattos, Cláudia Vasconcelos, Vera Bonilha, Victor Coelho ‘Mionzinho’, Dani Mustafci, Camilo Brunelli e Gabriela Garcia

O retorno da equipe da peça DESIGUAL marca o final de um ciclo e o início de outro.

Após um momento inicial que aconteceu ainda no ano passado, o diretor Jairo Mattos, a roteirista Cláudia Vasconcelos e o elenco formado por Vera Bonilha, Victor Coelho ‘Mionzinho’, Dani Mustafci, Camilo Brunelli e Gabriela Garcia voltaram ao novo estúdio para realizar dois últimos ensaios da peça.

Com o texto já finalizado, tivemos a oportunidade de registrar o resultado de meses de trabalho que produziram o texto final. Manteve-se, no entanto, a estrutura que nasceu aos olhos da nossa câmera em nosso estúdio: um palco delimitado por linhas imaginárias e uma coxia aos olhos do público.

Essa estrutura reflete algo comum que parece nos processos criativos que acontecem em nosso estúdio: a absorção de elementos do nosso espaço na construção das obras finalizadas. Nosso espaço inspira a criação. Curiosidade: no último ensaio do grupo, o diretor Jairo Mattos acompanhou tudo on line e comunicou seu olhar a distância.

Outra mudança que pudemos observar é a da faixa etária que a peça busca se comunicar, agora um público mais infantil que possa se relacionar com as gags visuais e a temática da peça: um jovem que busca seu lugar no mundo.

A estréia da peça acontece no dia 13 de outubro de 2018 no Teatro Sérgio Cardoso.

[topo]

+ VÍDEOS DA ONDA

ENTREVISTAS E PROCESSO CRIATIVO

Entrevistas com os artistas da ONDA e registro de seu processo criativo. Esses vídeos fazem parte das nossas séries episódicas – ATRA\\FLIX e DIALOG.

[topo]

ARTISTAS e COLABORADORES

[topo]

RE-INSPIRAÇÕES

[topo]