ELES, ARTISTAS

onda#16
Dois curadores com visões diferentes sobre a arte selecionarão dois artistas que acreditam representar, com exemplar singularidade, o que é ser artista.

EDITORIAL

Inspirados pelo livro O QUE É UM ARTISTA?, da autora Sarah Thornton, decidimos fazer uma trilogia de ONDAs (#14, #15 e #16) a fim de refletir a questão do ARTISTA.
Em cada ONDA um olhar sobre o artista. Para isso, partiremos de três olhares diferentes em cada uma das ONDAs.
Na ONDA#14 – EU, ARTISTA, convidamos a performer Luanna Jimenes para desenvolver sua nova performance. Afirmando nossa confiança em seu trabalho, ela convidou artistas africanos como Edo Amassize, Shambuyi Wetu e Graça ‘Doneta para se apresentar.
Na ONDA#15 – NÓS, ARTISTAS, recebemos artistas de diferentes técnicas, conhecimentos, idades, raças e estilos, que ocuparam nosso espaço e apresentaram seu processo criativo. Refletimos, aqui, se todos que se envolvem com arte são artistas.
Agora, na ONDA#16 – ELES, ARTISTAS, pedimos para dois curadores com diferentes visões sobre o fazer artístico convidarem dois artistas que representam, para eles, singulares exemplos da realização artística. Queremos discutir os mecanismos de validação da arte, os diferentes pontos de vista que o fazem e, é claro, registrar seus processos criativos!
Ao final da trilogia, esperamos fechar o ano inspirando as pessoas e incentivando o desenvolvimentos dos processos criativos e a produzir a sua arte. A produção da arte é necessária e urgente. Quanto mais arte, mais amor e mais mentes abertas na sociedade.
Mas afinal, quem faz a arte senão o artista? E o artista é quem se reconhece como tal ou quem é validado por terceiros?

[topo]

BAIXO RIBEIRO E MARIANA MARTINS

O curador Baixo Ribeiro convidou a artista Mariana Martins para desenvolver seu processo criativo em nosso estúdio. Baixo explicou que sua relação de admiração pela artista supera a conexão profissional, afinal, são casados. Isso, no entanto, não o impede de analisar sua produção com distanciamento e estudá-la profundamente.

Desse convite, Mariana produziu uma dupla de quadros misturando diferentes técnicas como colagem, caligrafia e objetos históricos encontrados. Esses objetos são cheios de memória, pois pertenciam ao pai da artista e torná-lo parte de obras foi uma maneira de eternizá-los, disse a artista.

“Vim aqui fazer um trabalho que faz parte de uma série sobre a memória. A vida moderna faz com que as pessoas se desfaçam de suas memórias. O que fazer com aquilo que está guardado e ocupando espaço? Tenho ganho muitas dessas coisas e criado obras a partir delas.”
Mariana Martins

“A obra de Mariana cria uma nova relação entre os objetos a partir da técnica de assemblage. Essa nova combinação de intenções é que dá força às peças criadas por Mariana Martins.”
Baixo Ribeiro

[topo]

ARTISTAS e COLABORADORES

[topo]

RE-INPIRAÇÕES

[topo]