EU, ARTISTA

onda#14
Primeira parte de uma trilogia que investigará o que é o artista, a ONDA#14 acompanha o processo criativo de Luanna Jimenes, experiente artista performática, que irá desenvolver seu próximo trabalho em uma semana dentro do ATRAVES\\.
O trabalho dialoga com questionamentos fundamentais da formação do povo brasileiro e suas novas configurações com as recentes diásporas e deslocamentos contemporâneos. A pesquisa terá motivações etnológicas, porém, por um viés poético.

EDITORIAL

Inspirados pelo livro O QUE É UM ARTISTA?, da autora Sarah Thornton, decidimos fazer uma trilogia de ONDAs (#14, #15 e #16) a fim de refletir a questão do ARTISTA.
Em cada ONDA um olhar sobre o artista. Para isso, partiremos de três olhares diferentes em cada uma das ONDAs.
Na primeira delas, a ONDA#14 – EU, ARTISTA, queremos encontrar o momento quando a artista se reconhece e se intitula como artista, desenvolvendo seu projeto a partir das suas buscas. Para isso, convidamos a experiente performancer Luanna Jimenes, uma antiga colaboradora nossa. Da nossa perspectiva, ela é uma artista convicta em suas crenças e já resolvida em sua busca pessoal, encontrando a necessária ressonância de suas questões pessoais em uma ousada e instigante produção artística.
Luanna desenvolverá um trabalho sobre os imigrantes africanos que, hoje, habitam o caótico centro de São Paulo. Essa busca guiará-se pelos corpos em movimento desses seres humanos tratados com indiferença e marginalizados pela sociedade. Reencontrando as memórias afetivas da infância que persistem em sua intimidade.
Aplicaremos à todos os artistas desta trilogia uma mesma metodologia de documentação audiovisual e uma cartilha de perguntas. A ideia é mapear diferentes processos e caminhos percorridos na aventura da criação.
Esperamos, ao final dessa jornada, encerrar o ano inspirando as pessoas a realizarem seus trabalhos, acreditarem em seus movimentos e encontrarem mecanismos para realizarem cada vez mais. A produção da arte é necessária e urgente. Quanto mais arte, mais amor e mais mentes abertas na sociedade.  
Mas afinal, quem faz a arte senão o artista? E o artista é quem se reconhece como tal ou quem é validado por terceiros?

[topo]

AS PÍLULAS

Veja trinta pequenas pílulas registradas pela diretora Ju Borgez que contam um pouquinho do que foi o processo de Luanna Jimenes dentro do ATRAVES\\.

CONCEITO

Caminhar como ato político. Conhecer o corpo da cidade, quem dá forma e vida. Conhecer os negros, quebrar barreiras. Humanizar.

A partir de suas andanças pelo centro da cidade, Luanna Jimenes começou a observar o comportamento da crescente massa de imigrantes negros recém chegados ao Brasil. Partiu, então, a estabelecer um mapa traçando seus caminhos pela cidade.

Deste conceito, surge CIDADE E CORPO: UMA PERFORMANCE AFRICANA NO BRASIL, trabalho teórico produzido pela artista e o qual embasa a performance criada por Luanna durante a ONDA#14 – EU, ARTISTA.

Outro texto importante para a artista foi o capítulo Nudez do livro CARNE E PEDRA: O corpo e a cidade na civilização ocidental de Richard Sennet, que reflete sobre a relação entre o corpo humano e o espaço urbano: da antiguidade aos dias de hoje.

[topo]

AS FERRAMENTAS

Atenta às questões técnicas, a artistas convidou o fotógrafo e antigo parceiro do ATRAVES\\, Marcelo Rocha, para definir o set up de luz em dois momentos distintos:

uma para os ensaios e processos criativos

e outra para a própria gravação.

Outro ponto importante foi a criação dos objetos óticos capazes de intermediar o olhar da artista e seus convidados. Para isso, convidamos a pedagoga Márcia Siqueira de Carvalho para auxiliar a criação dos objetos que serão usados na gravação da performance da artista.

Luanna chamou o momento de
Ateliê de Objeto Óptico para Observação Direta.

[topo]

O ESPAÇO

Partindo para a preparação da peça, Luanna convidou os músicos e dançarinos togoleses Ayikue Satchivi e Edoh Amassize e a cantora Maia Mkhize, da África do Sul.

O ensaio foi importante para definir a dinâmica da performance no dia da gravação: o posicionamento das câmeras e a movimentação dos artistas convidados.

GRAVAÇÃO

As gravações ocorrem em dois dias.

No sábado (11/11), recebemos os músicos Edoh Amassize, Nokplim Kpedjou e Edem Kosi, do Togo e a cantora Maya Mkhise, da África do Sul. Eles se apresentaram e transformaram nosso estúdio com sua energia incrível.

Depois, foi a vez do artista plástico Shambuyi Wetu, do Congo, que apresentou sua performance “Não à Guerra do Congo”. Pedro Zito, poeta angolano, auxiliou na realização.

No domingo (12/11), foi a vez da atriz angolana Graça ‘Doneta. Conversamos com ela sobre sua vida no Brasil e presenciamos sua apresentação de dança.

UMA PERFORMANCE AFRICANA NO BRASIL

O vídeo realizado pela Luanna Jimenes passou por algumas semanas no processo de montagem e teve uma exibição realizada dentro do nosso estúdio, seguido por uma conversa entre a diretora da ONDA Ju Borges e a artista Luanna Jimenes.

ARTISTAS e COLABORADORES

[topo]

RE-INPIRAÇÕES

[topo]

Free Download WordPress Themes
Download Nulled WordPress Themes
Download Best WordPress Themes Free Download
Download WordPress Themes Free
online free course
download samsung firmware
Free Download WordPress Themes
free online course