DANIEL BENEVIDES

No ATRAVES.TV, Daniel participou da Onda#5 escrevendo o texto “Juno está próxima de Júpiter”, que foi lido e interpretado por Luanna Jimenes. Confira abaixo:

Leitura do texto de  Daniel Benevides
Peça inspirada no texto: Uma performance em 3 atos: A Floresta, Júpiter e O Espelho.

Juno está próxima de Júpiter.

E bem longe da Terra – cerca de 800 milhões de quilômetros. A sonda espacial entrou na órbita do gigante gasoso no dia 4 de julho. Chegou a 4.500 quilômetros das primeiras nuvens do que parece ser uma atmosfera de enormes proporções, viajando a 250 mil quilômetros por hora. Não se sabe o que existe além das faixas coloridas que envolvem o maior e mais antigo planeta do sistema solar. Pode ser um núcleo rochoso ou uma massa compacta de gases.

Pode ser um feto, de tamanho mitológico.

Não se sabe, tampouco, o que é aquela mancha vermelha em sua face, que mais parece o olho de uma tempestade permanente.

Juno dará trinta voltas em Júpiter, durante 20 meses. Um ritual de acasalamento. Juno veste um cinto de castidade para proteger seus equipamentos. Um cofre de titânio. 200 quilos. O poder magnético de Júpiter é extremamente forte. Atrai e acelera partículas de alta energia, que vêm do Sol. Pode destruí-la antes que ela colete os dados sobre a origem do astro. Sobre sua formação. Sobre a possibilidade de vida em uma de suas luas, Europa, onde há água. Pois há pouca água em Júpiter.

No carro abafado de seus pais, o menino se entedia.

Yamato Tanooka, de sete anos, olha pela janela. Estão em algum ponto de Hokkaido, ilha ao norte do Japão. Ele quer fazer parte do que vê. Quer sair de dentro, explorar o redor. Mexe nos bolsos. Encontra um punhado de pedras. Minúsculos asteroides.  Aperta o botão, o vidro desce.

A curiosidade é despertada pelo campo magnético dos outros carros que passam. Cores, luzes, ruídos. Carros e pessoas. Atira as pedras. Elas partem em curvas elegantes e batem nos metais das portas, na cara dos passantes. Yamato sonda a reação. Qualquer reação. Insiste. Insiste até se dar conta de que uma explosão maior se aproxima. É seu pai. Ele o abandona na beira da estrada, na beira de um universo desconhecido. Um castigo, senão divino, de enormes proporções.

Quando encontrado, dois quilos mais magro, Yamato está olhando para cima, por uma brecha no telhado tosco.

Olha para algum ponto a milhões de quilômetros dali. Talvez, por alguma razão que a razão desconhece, consiga ver Juno, em sua trajetória até Júpiter.

Juno, a suicida.

Nascido na França (mas considera-se brasileiro), Daniel Benevides é redator-chefe da CULTURA!Brasileiros, pai de Maria, vocalista da banda de rock e jornalista cultural polivalente. Já foi confundido com Leonard Cohen e elogiado por David Bowie além de pessoa fundamental nos áureos tempos da MTV.

ONDA

RE-INSPIRAÇÃO

COMPARTILHE