AMANDA LIOLI

No ATRAVES.tv, Amanda colaborou com Mauricio Pisani na ONDA#1 INÍCIO: Ar. Usando a Libra como protagonista no processo de criação poética realizou um trabalho de corpo e performance a partir do poema “Abro os olhos, branco”, de Marise Hansen.

“A gramática é a tridimensionalidade do próprio corpo. Da mesma forma que com a língua oral cada um tem um jeito de falar e de construir o pensamento lógico, na Libras também ocorre o mesmo, mas a partir do corpo. Isso que me chamou muito atenção.” – Amanda Lioli

Performance conjunta entre falante e surda: Português e Libras como línguas protagonistas no Slam do Corpo, organizado pelo coletivo Corposinalizante.
Ainda quando cursava a faculdade de Pedagogia, Amanda Lioli começou a estudar Libras – Língua brasileira de sinais ou a segunda língua oficial do nosso país, com mais de 5 milhões de usuários – pois enxergou nela uma potência performática muito grande.

Aos poucos, começou a trabalhar como intérprete em espaços de educação não formal, como museus e ONGs. De um ano e meio pra cá, vem se dedicando mais a atividade de intérprete com foco na cultura, em exposições, performances e peças de teatro.

Foi no primeiro sarau bilíngue (de surdos e falantes) do Brasil, o Slam do Corpo, que a intérprete pôde desenvolver seu desejo de trabalhar Libras como mais do que uma ferramenta de tradução: a língua de sinais como parte integrante do processo criativo.

ONDA

RE-INSPIRAÇÃO

COMPARTILHE

One response

Comments are closed.